Login

Efetue seu login para participar:

TEATRO - AUSÊNCIA

TEATRO - AUSÊNCIA

Concorra a pares de ingressos para a Ausência:

Se você foi um dos contemplados, retire suas cortesias até o dia 13/05 (sexta-feira) de 9h às 15horas, na Avenida Getúlio Vargas – 291 – Funcionários.

 

TEATRO EM MOVIMENTO APRESENTA LUIS MELO, COM A POÉTICA E FUTURISTA “AUSÊNCIA ”, DA CIA. FRANCO-BRASILEIRA  DOS À DEUX

O "Teatro em Movimento" traz a Belo Horizonte, em comemoração aos seus 15 anos, o espetáculo "Ausên-cia", com o consagrado ator Luis Melo, em apenas duas sessões: dias 14 e 15 de maio, sábado, às 20h, e do-mingo, às 19h, no Sesc Palladium. A concepção, dramaturgia e direção é de Artur Luanda Ribeiro e André Curti, e faz parte de uma linha de pesquisa intitulada "teatro gestual", desenvolvida pela companhia franco-brasileira Dos à Deux. O "Teatro em Movimento"é patrocinado pelo Itaú, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Em um mundo imerso no caos da falta d’água e de energia elétrica –  um colapso que afeta a todos os seres humanos – um  homem vive sozinho no alto de uma torre. Esse é o ponto de partida da peça Ausência. Primeira montagem solo do grupo Dos à Deux– e primeiro espetáculo não protagonizado pelos diretores Artur e André –,  a  peça  faz  parte  de  uma  linha  de  pesquisa característica dos 17 anos de carreira da companhia, o teatro gestual, em que a palavra dá lugar ao poder dos gestos e da interpretação corporal.

O cenário caracteriza um ambiente em ruínas, recortado por um emaranhado de canos e registros que se cruzam indefinidamente em todas as direções, simbolizando o desespero pela busca da água. Sob a cons-tante invasão de ratos que tomaram as  ruas e a irreparável necessidade de uma máscara de oxigênio até mesmo para abrir a janela, o homem sobrevive à base da assustadora ação de apenas uma gota d’água por dia, enfrentando constantemente a solidão, a escassez e o enclausuramento, em  uma linha tênue entre a sanidade e a loucura.

O dilema: Nesse cenário caótico, a única companhia do homem solitário é seu peixe vermelho, imerso na água de um aquário redondo. Recluso em seu mundo particular e incapaz de enfrentar o horror tóxico e irrespirável das  ruas, o protagonista se vê diante de um  grande dilema ético e existencial: matar ou não seu único objeto de afetopara beber da água do aquário.

Transitando entre a crueldade, a ternura e a insanidade, o homem reveza-se na caça e tortura de ratos que invadem seu espaço, na dedicação de amor e cuidado para com seu companheiro e em momentos de delí-rio e alucinação em que enxerga uma figura feminina a partir das formas e objetos a seu redor.

“Nessa peça, é como se o público estivesse vendo da janela a trajetória do personagem. Falta de água, luz e energia são temas de um futuro muito presente, na verdade. Sem contar a questão humana, a solidão, o medo do desconhecido, fatores  que conversam diretamente com os dias atuais”, frisa Luis Melo.

A carga dramática das situações é fortemente acentuada pela trilha sonora original do lisboeta Fernando  Mota,  pelo  acabamento  da  luz  assinada  por  Ph  e  Artur  Ribeiro  (característica  das montagens do gru-po) e pelo cenário caótico de Fernando Mello da Costa.


Ficha técnica
Um espetáculo da Cia Dos á Deux / interpretação Luis Melo / dramaturgia, direção e concepçãoAndré Curti e Artur Luanda Ribeiro /  preparação corporal Artur Luanda Ribeiro / música original Fernando Mota / acessórios, peruca e maquiagem Maria Adélia / cenografia Fernando Mello da Costa / iluminação PH e Artur Luanda Ribeiro / figurinos Ticiana Passos / design gráfico Roberta Freitas e Natália Quinderé / fotos Renato Mangolin / cenotécnico Jessé Natan / acompanhamento fisioterápico Núbia Barbosa / pintu-ra de texturas Ana Paula Cardoso / assistência de acessórios Álvaro Mendeburu / assistência pintura texturas Clara Feijó / operação de luz PH e Willem Peçanha / operação de som José Ricardo Neto / con-trarregra Jessé Natan / produção executiva João Eizô / equipe de produção Alex Nunes, João Eizô e Ma-ria Albergaria / direção de produçãona França Nathalie Redant / direção de produçãono Brasil Sérgio Saboya / realização em Belo Horizonte:TEATRO EM MOVIMENTO - 15 anos celebrando o teatro-, com o patrocínio do Itaú, via Lei Federal de Incentivo à Cultura/ produção localRubim Produções


Teatro em Movimento
 
O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, foi criado há 15 anos, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte que tornou-se, ao longo do tempo, praça relevante para a apre-sentação de importantes repertórios. Além disso o projeto também atua em outros Estados e o outras cidades. Desde então, contabiliza 176 montagens, que somam mais de 522 apresentações, envolvendo cerca de 550 artistas, em 14 cidades, 27 teatros e público superior a 380 mil pessoas.

Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto trouxe à capital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Selton Mello, Renata Sorrah, Thiago Lacerda, Grace Passô, Débora Falabela, Yara de Novais, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lom-bardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Paulo Gustavo, Julia Lemmertz e muitos outros.  Dentre os espetáculos que o projeto deslocou para a capital mineira estão “Hamlet”, “Incêndios”, “Esta Criança”, “Gonzagão – a Lenda”, “Bibi Ferreira – Histórias e Canções”, “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf”, “O Grande Circo Místico”, “New York, New York”, “Bem-vindo, Estranho”, “Milton Nascimento – Nada Será Como Antes”, “Cassia Eller – o Musical”, “Azul Resplendor”, “Poema Bar” e muitos outros.

O projeto também já atuou em outras cidade brasileiras, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú (SE), Corumbá(MS), São Paulo (SP), Mangaratiba (RJ), Canaã dos Carajás.(PA)  Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua ou já atuou em Imperatriz, Açailandia, Paraopebas, Mangaratipa, Itabirito, Maria-na, Ourilandia, Ouro Preto, Araxá, Tiradentes, Betim, Contagem, Ipatinga, Nova lima e Juiz de fora. Os re-sultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetá-culos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sen-do um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultu-ral do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultu-ral.
 

Serviço: “Ausência”
Duração:  / Classificação: 14 anos
Dias/horários: 14 e 15 de maio, sábado, às 20h e domingo, às 19h
Local: Sesc Palladium: Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro
Ingressos: R$30,00 (inteira) - R$ 15,00 (meia) - Vendas: bilheteria do teatro - www.ingresso.com
Meia entrada válida para: maiores de 60 anos. E para estudantes devidamente identificados, válida até 40% dos ingressos vendáveis do teatro (conforme DECRETO no 8.537, de 05 de outubro de 2015).
Vendas: bilheteria do teatro e www.ingresso.com e www.teatroemmovimento.art.br

 
Informações para a imprensa:
AB Comunicação e Cultura
Jozane Faleiro (31) 992046367 – 35676714 - 32611501
jozane@ab.inf.br
 

Está promoção já foi encerrada!

  • Carlene Lima Ranieri
  • Maria Ines Martins de Azevedo
  • Mario Celso Lamas Cavaca
  • Marilusa Esteves dos Reis
  • Genezareth da Silva Rego Dantas

Esta é uma promoção exclusiva para os assinantes do jornal Estado de Minas. Os prêmios deverão ser retirados somente na data e horário estipulados neste hotsite, não cabendo ao Estado de Minas reservar, guardar ou trocar tais itens. No ato do cadastro, o internauta deverá fornecer somente as informações solicitadas: Login; Senha. A retirada do prêmio deverá ser feita somente pelo ganhador ou terceiro, mediante apresentação de Carteira de Identidade original do contemplado. Não serão aceitas cópias de qualquer outra documentação na retirada de prêmios. Caso o assinante contemplado não retire seu prêmio na data e horário especificados no hotsite da promoção, tais itens serão de propriedade do Estado de Minas. O assinante poderá conferir a relação dos contemplados acessando este hotsite. As datas e horários de divulgação dos resultados podem ser alterados sem aviso prévio. O direito ao prêmio não pode ser convertido em dinheiro. Em hipótese alguma o ganhador poderá pedir a troca ou substituição de qualquer detalhe que não seja o determinado na descrição do prêmio. Ao inscrever-se o internauta declara ter lido e aceito o regulamento acima descrito.

Concorra a pares de ingressos para a Ausência:

Se você foi um dos contemplados, retire suas cortesias até o dia 13/05 (sexta-feira) de 9h às 15horas, na Avenida Getúlio Vargas – 291 – Funcionários.

 

TEATRO EM MOVIMENTO APRESENTA LUIS MELO, COM A POÉTICA E FUTURISTA “AUSÊNCIA ”, DA CIA. FRANCO-BRASILEIRA  DOS À DEUX

O "Teatro em Movimento" traz a Belo Horizonte, em comemoração aos seus 15 anos, o espetáculo "Ausên-cia", com o consagrado ator Luis Melo, em apenas duas sessões: dias 14 e 15 de maio, sábado, às 20h, e do-mingo, às 19h, no Sesc Palladium. A concepção, dramaturgia e direção é de Artur Luanda Ribeiro e André Curti, e faz parte de uma linha de pesquisa intitulada "teatro gestual", desenvolvida pela companhia franco-brasileira Dos à Deux. O "Teatro em Movimento"é patrocinado pelo Itaú, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Em um mundo imerso no caos da falta d’água e de energia elétrica –  um colapso que afeta a todos os seres humanos – um  homem vive sozinho no alto de uma torre. Esse é o ponto de partida da peça Ausência. Primeira montagem solo do grupo Dos à Deux– e primeiro espetáculo não protagonizado pelos diretores Artur e André –,  a  peça  faz  parte  de  uma  linha  de  pesquisa característica dos 17 anos de carreira da companhia, o teatro gestual, em que a palavra dá lugar ao poder dos gestos e da interpretação corporal.

O cenário caracteriza um ambiente em ruínas, recortado por um emaranhado de canos e registros que se cruzam indefinidamente em todas as direções, simbolizando o desespero pela busca da água. Sob a cons-tante invasão de ratos que tomaram as  ruas e a irreparável necessidade de uma máscara de oxigênio até mesmo para abrir a janela, o homem sobrevive à base da assustadora ação de apenas uma gota d’água por dia, enfrentando constantemente a solidão, a escassez e o enclausuramento, em  uma linha tênue entre a sanidade e a loucura.

O dilema: Nesse cenário caótico, a única companhia do homem solitário é seu peixe vermelho, imerso na água de um aquário redondo. Recluso em seu mundo particular e incapaz de enfrentar o horror tóxico e irrespirável das  ruas, o protagonista se vê diante de um  grande dilema ético e existencial: matar ou não seu único objeto de afetopara beber da água do aquário.

Transitando entre a crueldade, a ternura e a insanidade, o homem reveza-se na caça e tortura de ratos que invadem seu espaço, na dedicação de amor e cuidado para com seu companheiro e em momentos de delí-rio e alucinação em que enxerga uma figura feminina a partir das formas e objetos a seu redor.

“Nessa peça, é como se o público estivesse vendo da janela a trajetória do personagem. Falta de água, luz e energia são temas de um futuro muito presente, na verdade. Sem contar a questão humana, a solidão, o medo do desconhecido, fatores  que conversam diretamente com os dias atuais”, frisa Luis Melo.

A carga dramática das situações é fortemente acentuada pela trilha sonora original do lisboeta Fernando  Mota,  pelo  acabamento  da  luz  assinada  por  Ph  e  Artur  Ribeiro  (característica  das montagens do gru-po) e pelo cenário caótico de Fernando Mello da Costa.


Ficha técnica
Um espetáculo da Cia Dos á Deux / interpretação Luis Melo / dramaturgia, direção e concepçãoAndré Curti e Artur Luanda Ribeiro /  preparação corporal Artur Luanda Ribeiro / música original Fernando Mota / acessórios, peruca e maquiagem Maria Adélia / cenografia Fernando Mello da Costa / iluminação PH e Artur Luanda Ribeiro / figurinos Ticiana Passos / design gráfico Roberta Freitas e Natália Quinderé / fotos Renato Mangolin / cenotécnico Jessé Natan / acompanhamento fisioterápico Núbia Barbosa / pintu-ra de texturas Ana Paula Cardoso / assistência de acessórios Álvaro Mendeburu / assistência pintura texturas Clara Feijó / operação de luz PH e Willem Peçanha / operação de som José Ricardo Neto / con-trarregra Jessé Natan / produção executiva João Eizô / equipe de produção Alex Nunes, João Eizô e Ma-ria Albergaria / direção de produçãona França Nathalie Redant / direção de produçãono Brasil Sérgio Saboya / realização em Belo Horizonte:TEATRO EM MOVIMENTO - 15 anos celebrando o teatro-, com o patrocínio do Itaú, via Lei Federal de Incentivo à Cultura/ produção localRubim Produções


Teatro em Movimento
 
O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, foi criado há 15 anos, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte que tornou-se, ao longo do tempo, praça relevante para a apre-sentação de importantes repertórios. Além disso o projeto também atua em outros Estados e o outras cidades. Desde então, contabiliza 176 montagens, que somam mais de 522 apresentações, envolvendo cerca de 550 artistas, em 14 cidades, 27 teatros e público superior a 380 mil pessoas.

Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto trouxe à capital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Selton Mello, Renata Sorrah, Thiago Lacerda, Grace Passô, Débora Falabela, Yara de Novais, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lom-bardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Paulo Gustavo, Julia Lemmertz e muitos outros.  Dentre os espetáculos que o projeto deslocou para a capital mineira estão “Hamlet”, “Incêndios”, “Esta Criança”, “Gonzagão – a Lenda”, “Bibi Ferreira – Histórias e Canções”, “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf”, “O Grande Circo Místico”, “New York, New York”, “Bem-vindo, Estranho”, “Milton Nascimento – Nada Será Como Antes”, “Cassia Eller – o Musical”, “Azul Resplendor”, “Poema Bar” e muitos outros.

O projeto também já atuou em outras cidade brasileiras, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú (SE), Corumbá(MS), São Paulo (SP), Mangaratiba (RJ), Canaã dos Carajás.(PA)  Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua ou já atuou em Imperatriz, Açailandia, Paraopebas, Mangaratipa, Itabirito, Maria-na, Ourilandia, Ouro Preto, Araxá, Tiradentes, Betim, Contagem, Ipatinga, Nova lima e Juiz de fora. Os re-sultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetá-culos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sen-do um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultu-ral do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultu-ral.
 

Serviço: “Ausência”
Duração:  / Classificação: 14 anos
Dias/horários: 14 e 15 de maio, sábado, às 20h e domingo, às 19h
Local: Sesc Palladium: Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro
Ingressos: R$30,00 (inteira) - R$ 15,00 (meia) - Vendas: bilheteria do teatro - www.ingresso.com
Meia entrada válida para: maiores de 60 anos. E para estudantes devidamente identificados, válida até 40% dos ingressos vendáveis do teatro (conforme DECRETO no 8.537, de 05 de outubro de 2015).
Vendas: bilheteria do teatro e www.ingresso.com e www.teatroemmovimento.art.br

 
Informações para a imprensa:
AB Comunicação e Cultura
Jozane Faleiro (31) 992046367 – 35676714 - 32611501
jozane@ab.inf.br