Login

Efetue seu login para participar:
Diminuir Aumentar


Publicação:23/09/2015 11:28 | Atualização: 24/09/2015 12:05

ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS
O chef italiano Luca Buonerba comanda a cozinha do Utopia. (ALEXANDRE GUZANSHE/EM/D.A PRESS)

O chef italiano Luca Buonerba comanda a cozinha do Utopia.

por EDUARDO TRISTÃO GIRÃO

 

O mais novo bar do Bairro Anchieta, mais exatamente na Rua Pium-I, um dos principais corredores gastronômicos de Belo Horizonte, tem história um pouco inusitada. Em vez de ser criação de gente daqui ou implantação de conceito do eixo Rio-São Paulo, o Utopia é filialda casa de Salvador com o mesmo nome, ambiente parecido e, praticamente, o mesmo cardápio. Já se pensa em inaugurar unidades em Campinas e no Recife. 

  O casal de administradores Joana Corrêa e Gustavo Campos, baianos radicados em BH, comanda o bar. Ela foi colega de faculdade de um dos sócios do grupo, que mantém a matriz do Utopia em Salvador, além de um restaurante italiano e uma hamburgueria. Lá, eles frequentavam a casa e gostavam do cardápio, que mistura petiscos e pratos, além de apostar nas caipirinhas.

A procura por um ponto afastou o casal do Bairro de Lourdes devido ao valor dos aluguéis. Joana e Gustavo escolheram o imóvel do Anchieta onde funcionou o Mundaka e, por último, um bar de espetinhos. Com a reforma, o espaço passou a ter 120 lugares, distribuídos entre varanda, dois salões (um deles com teto retrátil) e pequena área com banquetas altas e tambores de metal que funcionam como mesas. Há TVs para transmissão de jogos de futebol. 

Por pretender ser metade bar, metade restaurante, a casa bolou cardápio que vai da batata frita (R$ 23,90, com molhos barbecue e de gorgonzola) ao risoto de pera com presunto cru (R$47,90, individual), passando por pizzas, saladas, um hambúrguer e longa seção de petiscos, fora as sobremesas (nada menos de quatro variações de petit gâteau). O chefé o italiano Luca Buonerba, há sete anos em BH e com passagem pelo Topo do Mundo.  

  

Caipi de morango com jabuticaba ganhou o chapéu de algodão-doce.

Caipi de morango com jabuticaba ganhou o chapéu de algodão-doce.

 ALGODÃO-DOCE “É um cardápio extenso, temos de comprar muitos insumos”, desabafa Joana. Para ter ideia dessa diversidade, entre os petiscos, há itens como lichias em calda recheadas com cream cheese

e pistache (R$ 29,90), croquetes de costelinha (R$ 41,90), coxinhas de baroa com parmesão e mel (R$ 35,90, porção) e camarões empanados na tapioca (R$ 37,90). A diversidade não se resume aos ingredientes, chegando à logística e ao preparo, tornando a operação mais complicada.

A tapioca granulada para o camarão, por exemplo, é enviada pela mãe de Gustavo diretamente de Salvador. Algumas pedidas não puderam ser copiadas da casa soteropolitana. Em Salvador, é possível comprar ingredientes regionais como carne de fumeiro (de porco, defumada) e o acesso a peixes e frutos do maré mais fácil. Aqui, há pedidas com camarão, lula e polvo, mas a tilápia é o único peixe.

Além de cervejas (longnecks a R$7,50; há algumas da mineira Brücke) e vinhos (22 rótulos, a partir de R$ 49,90, garrafa), a carta oferece pouco mais de vinte caipis feitas com cachaça ou vodca (R$ 18 cada, em média). Chamam a atenção versões inusitadas da bebida, como a de morango com jabuticaba, coberta com algodão doce feito na hora. 

 

 

UTOPIA

Rua Pium-I, 787, Anchieta. (31) 3658-6177. Aberto de terça a sexta, das 18h à 0h; sábado, das 16h à 1h; e domingo, das 12h às 20h.